sábado, 31 de julho de 2010

Noiva Solitária


Renata amava Ricardo e estavam ansiosos
Tinham dia e hora numa linda capela
Para se casarem. Oh! que emoção!
Estavavam os dois enamorados


O pai da noiva preparou-lhes uma linda festa
Onde havia muitos convidados
Todos muito elegantes na capela
A espera da noiva maravilhosa

O buffet estava pronto
Muitas guloseimas para saborear
Mas as horas foram passando
E não aparecia ninguém


De repente, um tumulto na capela
O noivo não veio! Desapareceu!
A noiva sujou seu lindo vestido
Sentando-se nas escadas da capela
Chorando muito que dava dó...


Os convidados perplexos foram embora
Ficou apenas a tristeza da família
O pai ergueu a cabeça da filha e disse:
-Custe o que custar eu vou encontrá-lo


Passado alguns anos numa cidade qualquer
O pai encontrou Ricardo, casado e com filhos
Ricardo amarelou e o pai da noiva abandonada
Disse-lhe:- Vamos ao banco agora, você irá
Ressarcir todos os meus prejuízos


Só uma coisa o pai da noiva não conseguiu
Apagar da sua mente, toda vergonha
Que o triste destino, fê-lo acometer


O tempo passou, Renata casou-se com outro
Desta vez foi pra valer
Os dois estavam apaixonados
E o casamento aconteceu.


LUA SOLITÁRIA COMENTA:
Eu já presenciei um fato desse tipo.
Foi muito triste.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

O vício do sexo



Existem pessoas, as quais conheço muito bem, parece que já nascem com esse vício. É involuntário. Qualquer sacolejo nas partes íntimas, já as fazem chegar ao orgasmo.
Sou professora e já percebia desde a primeira série, crianças se masturbando o tempo todo na sala de aula. Nada podia fazer, pois faz muito tempo e ainda não tínhamos o Conselho Tutelar, nem psicólogos para darem respaldo as essas crianças.
Para sanar um pouco esse desconforto, colocava-as sempre como ajudantes do dia: Pegar livros, dar recados para diretora. Meu Deus! Quanta água bebia...
O tempo passou rápido, essas crianças, muitas delas, já se prostituiam, bebiam e fumavam ( Elas só tinham sete anos) e quando as encontrei novamente já tinham dois ou três filhos; isso porque elas só tinham quatorze anos.
Muitas delas, já com mais idade viraram prostitutas de asfalto e as outras, as mais belas, tinham seus amantes, aqui mesmo na cidade, que as "sustentavam".
Às vezes, as encontro em supermercados, sinto à admiração que elas têm por mim, vindo sorridentes para me abraçarem e me beijarem (Que Deus me perdoe), esquivo-me sorrateiramente, apenas saudando com um "Olá, tudo bem?", pois a maioria delas têm muitas doenças sexualmente transmissíves e tenho medo de pegá-las.(Comporto-me com elas de uma forma boa e peculiar).
Mas quanto ao amor que sempre senti por elas nunca acabou, independente do rumo que deram as suas vidas.
Não sou puritana, mas condeno toda e qualquer espécie de prostituição infantil e o tráfico das mais lindas mulheres brasileiras para o exterior, com promessas de bons empregos e o que as esperam é a prostituição, tanto nas ruas, as comandadas por cafetões ou em casas de prostituição. O retorno ao Brasil é muito difícil.
Cada um tem a vida que deseja, mas faço apenas uma ressalva : Que usem preservativos para que essas terríveis doenças não sejam propagadas em nível alarmante, dando muito trabalho e gastos para os nossos governantes.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Um pacto com o Demônio



José era uma criança muito pobre. Sua família, com o que ganhava, catando sucatas pelas ruas da cidade, pouco dava para alimentar com dignidade os seus filhos que eram muitos; pois pobres têm muitos herdeiros. De quê? Miséria.
O garoto não se conformava em não poder frequentar nenhuma escola, pois tinha que ajudar a catar sucatas.
Um dia, já meio revoltado com a sua mísera vida e vendo outras crianças brincarem de bola, bem vestidos e frequentando escolas, explodiu à noite com os pais: Um dia eu vou ficar rico e todos nós iremos morar numa linda mansão, com piscinas, salão de jogos e rodeadas de flores. Haverá de ser uma mansão de dar inveja a muitos milionários.
E assim foi crescendo José com essa idéia fixa na cabeça. O que fazer para conseguir concretizar esse sonho que parece irreal?
À noite, ao dormir teve um sonho estranho. Imaginem com quem...Com o Demo, que lhe disse:- Amanhã, você não vai mais catar sucatas nos lixos dos outros. Tenho outros planos para você. Encontre-me amanhã exatamente a meia noite naquela encruzilhada perto da goiabeira. Acordou, ficou assustado com aquele sonho, mas não disse a ninguém. De manhã disse aos pais que não estavava se sentindo bem e não foi trabalhar. Ao entardecer tomou seu banho, pôs uma roupa limpa e ficou a olhar o relógio que parecia disparar as horas.
À noite, todos foram dormir e quando estava chegando a hora marcada, José levantou-se sorrateiramente, fechou a porta do barraco e foi caminhando até a encruzilhada. Esperou.
A meia noite em ponto, viu um clarão que ofuscou os seus olhos, apertou-os com as mão e devagarinho elas foram se soltando.
Que beleza, coisa inacreditável. Viu um anjo lindo, todo de branco com as asas abertas que lhe disse:
-José, a partir de hoje, seu sofrimento acabará, compre um bilhete de loteria e ficarás rico, esse dinheiro irá se quadruplicar no que você investir.
-Mas Demo não é tão horroroso como falam? E o Demo respondeu:-Eu posso ter a forma que quiser, desde um horrendo demônio como um lindo anjo.
Só isso que devo fazer?, perguntou José.
-Não, quando você morrer, irás reinar comigo no Inferno.É um pacto: sua vida de riquezas em troca da sua alma.
O rapaz, já cansado de sofrer, aceitou.
Nesse mesmo dia ,José ganhou sozinho na loteria, apanhou seu dinheiro e sumiu com a famíla e ninguém mais viu o rapaz catando sucatas.
A partir daí, tudo deu certo na sua vida e da sua família: Compraram uma linda fazenda e ela foi prosperando aceleradamente e finalmente terminou a mansão que tanto desejava.
Já meio velho, resolveu fazer uma festa na sua bela mansão; só convidou os seu novos nobres amigos, esquecendo-se dos pobres amigos que deixara para trás.
De repente, a mansão começou a pegar fogo. Eram pessoas correndo para todos os lados para se salvarem.
Todos saíram, menos José que ficou com as pernas presas numa enorme tora, a qual não conseguia se livrar.
Seu corpo já ardendo, o fogo queimando suas roupas e eis que aparece o Demo em forma de Serpente e diz:
-Venha comigo, chegou a hora de acertarmos as contas.
Assim foi a estória de José, que não teve paciência de viver na pobreza, pois se a tivesse, haveria, quem sabe uma outra oportunidade e não teria esse triste fim
E sua família? Continua a catar sucatas pela cidade...


Visitem meu outro blog
está lindinho


terça-feira, 27 de julho de 2010

Caminhando para o caos


Por onde passamos vemos mulheres grávidas, algumas vestidas com decência e outras tendo a ousadia de mostrarem suas barrigas,usando shortinhos bem curtos. Como se isso fosse uma dádiva de Deus. Mas não é. São mulheres sem pudor que gostam de mostrar seus corpos em quaisquer ocasiões.
O mundo já está têm muitas pessoas, em nível insuportável ,que não têm nem para aonde ir. Vão se amontoando em favelas perigosas e faltam empregos, pois os oferecidos são para os que tem qualificação. E aí? só lhes sobram empregos subalternos, ganhando um mísero salário que nem da para o seu próprio sustento. E os casados... filhos nascendo a cada ano, o que vão comer? Muitos deles não se adaptando em favelas vão morar em mísero cortiço, podendo sair até brigas entremos vizinhos, por causa de um tanque ou crianças.
Que futuro tem essas crianças pobres, vindas de famílias desestruturadas, quando crescidas e não encontrando nenhum emprego digno, vão se amontoar em presídios nojentos, convivendo com ratos e comidas que não são apreciadas nem por cachorros. A mídia nos mostra isso.
Os ricos pagam caro por um plano de saúde e são bem atendidos, enquanto os pobres, coitados, quando conseguem alguma consulta pelo governo, demora meses; muitas vezes chegam a óbito, ou por não ter chegado a sua vez, ou falta de médicos, que por sinal ganham uma miséria do governo, portanto não têm tempo de darem um bom atendimento.
Aqueles que sobrevivem ganham remédios enfrentando uma fila interminável, que às vezes não adianta em nada.
De que adianta tomar remédios se lhes faltam o essencial: boa alimentação, moradia e dignidade. Afinal eles também são filhos do mesmo Deus.
As escolas públicas têm que fazer o impossível para alfabetizar esses alunos.Ninguém aprende com o estômago vazio e, muitos têm a sua primeira refeição do dia nas escolas e, muitas vezes, chegam quase desmaiar de fome.
Essas crianças vão crescendo revoltadas e chegam na adolescência irão roubar, matar e fazer tudo que é errado para mostrar ao mundo a discriminação social.
Quando veio a Lei Áurea e libertou todos os escravos, saíram de mãos vazias pelos serviços prestados e a maioria deles analfabetos, como sobreviver?
Os governantes brasileiros deveriam, por obrigação,dar-lhes um lugar digno para morar, boas escolas e bons empregos, para sanar um pouco essa vergonha que foi "A escravidão".
Não esqueçamos senhores que os pobres ainda têm que dividir "o pão" com seus animais.
Aonde vai o absurdo dos impostos que somos obrigados a pagar?...

sexta-feira, 23 de julho de 2010

O Recomeço



Numa pequena fazenda
Debaixo de uma paineira
Era onde Rose e João se encontravam
Faziam juras de amor e olhavam a lua e as estrelas
Davam beijos e suspiros apaixonados


Foi no mesmo lugar
Que fizeram o primeiro amor
Nasceu um lindo bebê
Que João nem conheceu. Fugiu


O tempo passou, o bebê cresceu e
Sempre a perguntar quem era o pai
Num dia de aflição disse:
-Foi João, o retireiro


João era lindo e tinha uma boa lábia
Fez filho com Rose e a abandonou
Pra quem passasse naquela paineira
Via sempre Rose a choramingar


Um dia apareceu Pedro e disse:
Rose, vamos namorar?
Casaram-se, tiveram outros filhos
E foram muito felizes
Um amor morre, outro recomeça


O primeiro filho de Rose
Nunca mais perguntou do pai
Era para Pedro que sempre dizia:
Amo você, meu pai...

terça-feira, 20 de julho de 2010

Rosa Vermelha



No lindo jardim da vida
És a mais bela, mais sutil
Tua cor assemelha ao sangue
Que é vida e nos da prazer

Viva a rosa vermelha
Sacudindo os sonhos perdidos
Vigorando o amanhecer

Rosa,rosa, eis que és aveludada
Tal qual a pele de um bebê
Se murchares virão outras
Que saudades terei de ti

Nos jardins da vida
Um dia irei te encontrar
Os meus olhos brilharão
Como brilha o teu encantar

Nessa poesia te enobreço
Pois rosas são como o tempo
Morre uma linda rosa hoje
Para ressurgir outra amanhã

Um buquê de rosas vermelhas
Irei sempre admirar
Pois sempre irei recordar
E rever-te.Oh! Rosa vermelha
Bela e aveludada

Na minha sonolência eterna
Tu e outras virão me velar
Mas a que segurarei na mão
Serás tu rosa vermelha e aveludada


Visitem meu outro blog
está lindinho

http://minicontista2.blogspot.com.br/


domingo, 18 de julho de 2010

Continuação do Pai Nosso


E labore-nos de bons conceitos



N otifique das nossas invejas
A pazigue os corações enciumados
O dore com o Seu perfume


N os dê bons governantes
O ndule as nossas paixões
S acie os irmãos favelados


D ignifica os Seus seguidores
E nxugue as nossas lágrimas
I nsignifique os demônios
X erocopia os nossos feitos
E limine as nossas invejas
I ntervenha a nosso favor
S obrevenha para julgar-nos


C onforte nossas perdas
A briga os desorientados
I nterrompa as más idéias
R estabeleça a nossa saúde


E difique Sua Doutrina
M adure os nossos jovens


T ripidie os malfeitores
E duque nossas crianças
N unca Se esqueça de nós
T ire-nos dos maus sonhos
A brase todos os demônios
C ancele toda a aflição
A pague os nossos erros
O pciona boas escolas

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Muitas saudades


Perto de ti meu grande amor
Ouvindo tua doce voz
Que me toca o coração
Feliz fico em saber
Que também sou correspondida


Lamentando não poder a cada
Momento, ter-te sempre junto a mim
No meu peito o coração diz sempre
Amo-te...com todas as forças Divinas


Sofro sempre com saudades de ti
Que intensamente o meu peito invade
Levando-me ao desespero
Em ver que simplesmente
Amando-te vivo a sofrer docemente


Esse amor ficou na saudade
Assim como morre uma rosa aveludada
Sinto saudades de ti
Pois sei que não te vereis jamais.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Continuação do Pai Nosso



P onha fim aos ignorantes
E stremeça-nos com Seu poder
R eintegra nossas alegrias
D estrua os malfeitores
O lvida nunca das nossas preces
A ma-nos sempre, senhor
I nstale o Seu perdão
S aqueie nossas orações


A limente-nos com seu amor
S ane as muitas angústias


N aufragues nossos insucessos
O ponha a toda miséria
S alubre o nosso corpo
S ingularize todos Seus filhos
A ngarie-nos à bons alimentos
S acuda os adormecidos


O utorgue-nos muita saúde
F acilite o nosso viver
E stenda-nos a Sua mão
N orteie toda a humanidade
S erene os bons velhinhos
A rranque todo mal do mundo
S emeie a bondade nos corações

quarta-feira, 14 de julho de 2010

RIO DE JANEIRO

AVESTRUZ PENAS BICO

AVES

LINDAS DESLUMBRANTES FORMOSAS

MAVIOSAS

PAPAGAIO PORTELA CARNAVAL

BRILHO

PLUMAS ENFEITES MULHERES

LINDOS

SORRISOS APLAUSOS COMPETIÇÕES

RIO

BATERIA PANDEIRO CUÍCA
PLUMAS

VERMELHAS AZUIS AMARELAS

PASSO

SAMBA PASSARELA PASSISTA

MAGIA

VIVA O BELO CARNAVAL DO

RIO!

terça-feira, 13 de julho de 2010

Paixão



Pobres pecadores à procura da paixão
Ela não é amor, pois amor é serenidade
Quando ela vem nos tornamos destemidos
Para embalarmos como criança desprotegida

A paixão tem curto tempo de validade
Logo se acaba e saímos machucados
Vindo lágrimas e suspiros de saudade

O tempo carrega esse mal
Para irmos à procura de uma nova vida
De repente, eis que deparamos
Com outra paixão vinda sorrateira

Quando é meu Deus que vai parar
Essa vida de tropeços apaixonados?
Só a velhice poderá responder...



Visitem meu outro blog
está lindo

http://minicontista2.blogspot.com.br/

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Continuação do Pai Nosso


O bjetive nossas carências

P ilote sempre nossas vidas
A juste todo nosso caminho
O pulente os desnutridos

N ivele todas as classes sociais
O dore os belos sonhos
S aneie os maus pensamentos
S olidifique a nossa fé
O pta-nos para a decência

D estrinça todos os obstáculos
E ntrelace pais e filhos

C ancele as grandes angústias
A cesse às boas virtudes
D esmobilize o cancro cruel
A sseie a nossa mente

D espache os maus espíritos
I rradie Sua luminosidade
A tinja-nos comSua graça

N arcotize as dores da alma
O xida os maus presságios
S ature-nos de bons alimentos

D ê-nos ousadia para vencer
A mpare todas as crianças
I lumine as grandes idéias

H abilite os incapazes
O rvalhe nosso corpo cansado
J amais nos abandone
E specule as nossa boas obras

segunda-feira, 5 de julho de 2010

A chuva



Oh! chuva abençoada
Molhe meu rosto cansado
Limpe-o de todas as tristezas
E traga-me a serenidade

O cheiro da terra molhada
Impregna todo meu corpo
Tornando-o tão perfumado
De odor incomparável

Venha chuva de mansinho
Molhe a terra do sertão
Para que os nossos irmãos
Tenham direito ao seu pão

Até breve chuva abençoada
Vá molhar a Terra toda
Mas não abuse da sua força
Pra não termos calamidades