domingo, 19 de fevereiro de 2012

Praga de mãe pega ( não é ficção )


Lourdes era uma linda garota muito pobre, costurava para ajudar a família, o problema é que foi se apaixonar justamente por um vagabundo, que vivia nos bares tocando violão. Ela apaixonou-se por ele e, nada fazia com que ela largasse aquele desocupado.
Um dia, sem que a mãe soubesse pulou a janela vestida de noiva e foi se casar com Pedro e, após o casamento os dois estavam chegando na casa da mãe de Lourdes, eis que de repente a mãe abriu a porta da casa e não deixou o casal entrar e ainda jogou uma praga na filha: Você me desobedeceu, portanto saiam daqui e você sua ingrata haverá de sofrer tanto e só comerá pedindo esmola e andará quase a arrastar pelo chão.
Os dois saíram e rumaram para a casa da mãe de Pedro que foi obrigada a recebê-lo. Ah! quanto sofreu a jovem, até apanhou da sogra e, os filhos foram nascendo, mais de dez filhos. O casal sumiu sem rumo para uma cidade bem longe. Ela ficou paralítica e ficava com os filhos pedindo esmolas nas calçadas. Sempre alguma alma boa condoída a tirava dessa situação humilhante e a colocava na garagem. Pedro fez uma barraco com restos de construções para abrigar os filhos e, quando a fome batia fazia alguns bicos.
Mas a praga foi ainda mais forte quando acometeu uma terrível doença que na época não existia cura e os filhos foram quase todos doados, ficando apenas com dois. Mas ela não morreu. Sina é sina...
Um detalhe: Pedro adorava ir a Zona com parte dos bicos que fazia.
Meus leitores, o amor nos leva à loucura e não medimos consequências e, praga de mãe pega...


12 comentários:

  1. Dorli, texto emocionante, que nos leva a refletir sobre o convívio social, mas principalmente sobre nossa postura e atitudes diante da vida.
    Penso que cada pessoa tem o direito de viver a própria vida,a vida de um filho,não é propriedade da mãe,se um filho precisa errar para amadurecer,é preciso que erre com apoio possível e irrestrito de quem o ama.Talvez neste caso a questão maior não seja a praga de mãe,mas sim o comodismo da filha em aceitar que qualquer pessoa que seja,trace seu destino.Beijo imenso de leitor fã.:-BYJOTAN.

    ResponderExcluir
  2. Oi Dorli, gostei do post. Fiquei com medo agora o_o
    Tenha um ótimo começo de semana, bjus...

    ResponderExcluir
  3. Leitores: eu não acredito em praga, mas eu conheci todos os membros dessa história, eram todas pessoas que hoje estão mortas, só restando alguns filhos.
    Talvez tinha que ser assim, só que esse infortúnio abalou todos os seus filhos, deixando-os à deriva na vida.
    Dorli

    ResponderExcluir
  4. Dorli, quando jovens, não ouvimos nossos pais, falta-nos bom senso na análise de certas atitudes que pretendemos tomar e acreditamos que tudo vai dar certo. Depois de alguns (ou muitos) anos, percebemos que a vida não era nada daquilo que esperávamos e, então, bate o arrependimento, o desespero e o sofrimento, que nos martiriza sem piedade. Pior de tudo é pôr neste mundo crianças que experimentarão todo tipo de marginalização. Eu também não acredito em "praga", pois o mal que nos acomete é fruto de nossas próprias ações. Abraços. OK

    ResponderExcluir
  5. Dorli, quem não sabe fazer suas escolhas come capim
    Roque S.P.

    ResponderExcluir
  6. Isso aí não é amor, está mais para bobeira, algo como veneração, coisa de quem não se respeita, não acha que vai encontrar alguém que lhe trate realmente bem... Beijo mãe!
    Cristovam

    ResponderExcluir
  7. Dorli:
    Tudo é possivel. É como disse willian Shakspeare: "Há mais mistério no céu e na terra do que sonha nossa vã filosofia."
    Abraços do wandisley

    ResponderExcluir
  8. Dorli, realmente, qualquer praga prega para as pessoas que não tem crenças e nem coração.Se a pessoa tivesse deus no seu coração , naõ passaria por tão más complicações!!Temos que saber seguir o rumo certo.bjs, Marta

    ResponderExcluir
  9. Dorli,
    Quando criança sempre ouvia dizer que praga de mãe e de Padre pega, mas não acredito nisso. Agora amor de mãe conheço bem e essa mãe que jogou a praga também nunca foi mãe. Se tivesse apoiado a filha nas horas difíceis talvez essa não tivesse um final tão trágico e cruel.
    beijos.
    Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, a mãe da jovem era muito pobre e sem chance em ajudá-la nos infortúnios.Mas sua mãe quando na hora da morte mandou chamar sua filha para pedir-lhe e, ela o fez ,pois, era uma pessoa de bom coração

      Excluir
  10. Sabe Dorli, antigamente as famílias preferiam ter seus filhos mal casados de que os vê-los separados.Se tivesse acolhido a filha logo no início que fugiu,talvez não tivesse tantos filhos para serem doados.Meu pai ficou viúvo com nove filhos menores e extrema pobreza, mas com ajuda da minha avó e minha irmã mais velha não doou nenhum.
    Bjs
    Ana

    ResponderExcluir
  11. Que triste amiga Dorli,por isso você tem essa tristeza no coração,a praga foi forte deixando pelo que entendi,Lourdes pobre e com muitos filhos precisando doá-los,quando apareceu uma doença incurável.
    Antigamente os pais escolhiam com quem eles deveriam se casar,mas aí nesse caso a mãe de Lourdes talvez tenha percebido que Pedro não seria um bom marido,mas o amor deles foi bem mais forte e apesar de tudo que Lourdes passou,ainda conseguiu sobreviver,mas sem os filhos que tanto amava.
    Muito lindo esse conto,mas bem triste.
    Bjs amiga
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir