sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Um rosto de menina



 Na caminhada da vida, houve uma menininha  de nome Clara, de rosto sofrido, mas que gostaria de brincar como outra qualquer; mas seu pai dava-lhe trabalho rude, tinha que plantar e colher milho durante a secagem natural no campo. No seu coraçãozinho começou a nascer uma revolta muito grande.
 Ela gostava de brincar, como outra criança qualquer, era linda, tinha os cabelos dourados como o milho seco e estava sempre a pedir ao pai um brinquedo, o qual nunca satisfazia seu pedido. E assim, a menina Clara, sem nunca ter uma boneca para brincar continuava no trabalho duro da roça tendo que aguentar as brutalidades de seu pai.
 A menina cresceu virou uma mocinha bonita, era de uma beleza morta, tinha um rosto triste, mas como todas as mocinhas da sua época sonhava que um príncipe viria buscá-la com um cavalo branco. Eram sonhos...
 Clara, ainda jovem, casou-se com João para se livrar do sofrimento da roça; achava que estava apaixonada por ele, o qual trabalhava na roça com ela. Não demorou muito tempo casaram-se num dia de domingo.
 Quando chegou na segunda feira, João acordou Clara com brutalidade exigindo que ela fizesse o almoço de madrugada e, sem lua de mel rumaram os dois num trabalho exaustivo. Apesar de João a maltratar, ainda Clara teve dois filhos desse desastrado relacionamento.
Um dia Clara tomou uma decisão: sair de casa com os filhos, tentar criá-los em outra cidade, arrumou um quartinho para abrigar a ela e seus dois pequenos filhos e saiu à procura de trabalho. Nada conseguia pois era analfabeta, mas de tanto procurar arrumou um emprego de passadeira numa tinturaria. Era muito caprichosa e seu salário que era muito pouco foi aumentado, dando condições de estudar seus filhos e aos sábados e domingos lavava e passava roupas dos mais favorecidos para completar sua renda.
 Clara era uma mulher bonita, mas não lapidada pela alegria do amor e paulatinamente foi envelhecendo rapidamente, pois sofria de um grande mal: a solidão.
Seus filhos cresceram, trabalhando e estudando conseguiram dar um maior conforto para sua mãe. Só que eles notaram que ela estava muito agressiva ao ponto de um dia quase queimar a casa toda. Ficou louca, foi internada num hospício e sempre dizia que seu príncipe viria buscá-la num cavalo branco.
 Quantas histórias parecidas a essa acontecem todos os dias nesse mundo de disputa, de ódio e desamores.
 Vamos nos amar mutualmente. 


Elaboração do enredo( Dorli Silva Ramos)

***
(Colaboração da ideia: (Nati Caetano)

27 comentários:

  1. É verdade, amiga Dorli. A solidão é uma teia perigosa, e Clara foi vítima dela logo cedo, imposta pelo pai, tentando se livrar do problema,, caiu em outro igual ou pior, que foi um marido egoísta. Sim, temos muitas histórias parecidas por aí. Como diz uma música de Zé Ramalho: "Há muitas violetas velhas sem um colibri". Parabéns. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Linda a participação de você Dorli e da Nati,nessa maravilhosa história.
    Há muitas iguais à essa,que escondem por vergonha em saberem que o mal trato levam à loucura.
    Mas existe o amor,que poderá estar entre todos nós,tanto no âmbito familiar quanto nas amizades.
    E para isso esse amor deverá ser mútuo para que não aconteça como a história de Clara.
    Adorei,parabéns às duas.
    bjs amiga
    Carmen Lúcia-mamymilu.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia
    Linda história... que se infelizmente tantas Claras deste sofrem o mesmo.... Adorei ler...

    Hoje o blogue está teimoso...não sai,
    Visite
    Beijos
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Dorli.. que baita história esta.. e não foge não do que acontece.. quantas são as mocinhas a darem duro, a sofrerem com tão pouca idade a dureza de seus pais.. a magoa não morre em nós até que nós a matamos.. e tocamos nossa vida.. muitos filhos crescem e não são felizes devido a este sentimento enraizado no passado.. e por mais difici que seja aceitar só uma palavra que impera e liberta que é o perdão... afinal todos estamos aqui erando mesmo que não reconhecemos nossos erros.. deixo um lindo dia bjs amiga

    ResponderExcluir
  5. bom dia Dorli

    Vendo esse quadrinho lembrei-me da minha infância, eu tinha ele e do menino tb rs...
    A vida de muitos é bem difícil e sofrida, qdo me deparo com isso nem reclamo dos meus problemas.
    Mas assim como a Clara eu espero meu príncipe, um dia ele vem (acho que tá vindo de tartaruga, pq esta demorando ) kkkk.
    Brincadeiras a parte,muita gente passa a vida inteira a espera de um grande amor e ás vezes esse amor está ali do lado e não vemos.

    bjokas e tenha um maravilhoso fds =)

    ResponderExcluir
  6. E quantas Claras existem por este mundo....
    muito bem escrito este retrato da vida... parabéns!
    beijo amiga
    anacosta

    ResponderExcluir
  7. Bonito conto, Dorli! Muito gostoso de ler e tirar mil lições...
    Um Bom Fim de Semana...
    O meu carinho

    ResponderExcluir
  8. Lindo e triste conto, mas é isso que aibda infelizmwente acontece com muitas garotas, desavisadas.
    Um abraço querida Dorli.

    ResponderExcluir
  9. Retratos da vida...

    comovente!


    obrigada.


    beij0

    ResponderExcluir
  10. Fiquei sentida pela menina de cabelos dourados como o milho seco... achei que ela se libertaria e teria mais conforto na fase adulta, pois se mostrou uma vitoriosa... mas na vida real nem sempre temos estes finais felizes. Beijos!

    ResponderExcluir
  11. E com o inchaço do mundo em população só haverá muitas Claras, pois a desamor quer imperar em nossas vidas, por isso temos que nus superar e não deixar que essas pessoas arrogantes e brutas nus dominem.
    E como já disseram ai em cima, pensei que seria um final feliz para a Clara.
    Abraço

    ResponderExcluir
  12. Amiga Dorli !!

    Amiga, não posso parabenizar a mim mesma, você prosseguiu com a continuação da história , deu mais ênfase no meio dela.

    Uma história comovente, escrevi uma parte, pois vejo tantas crianças abandonadas nas ruas, devido aos maus tratos, e você amiga deu um toque de pureza, desta linda menina sofrida sem Amor.

    E o amigo Cidreira, pensou que teria um final feliz, o que vemos nos dias atuais, muitos morrem antes de chegar a idade adulta. O bom de Clara, foi a firmeza de criar os filhos e trabalhando para dar o melhor para os filhos. Quantas Claras, estão nesta situação, quantos idosos sofrendo em asilos.

    Poderia ter um final feliz, pois o sofrimento, trabalho, a dedicação aos filhos, a mesma devia ter um final feliz, porém muitos não tem final feliz.

    A educação é uma opção, o Amor é acima de todas as opções.

    O enredo ficou maravilhoso. Parabéns Dorli !!

    Beijos
    Nati

    ResponderExcluir
  13. Fábula da vida real. Conheço muitas Claras. Algumas entenderam que seria sempre assim e continuam a sofrer, outras se libertaram, são independentes .Uma em especial disse que casou e mudou de 'dono', O PRIMEIRO FOI SUA MÃE, por isso separou e vive soltinha na vida. Cada um escolhe seu caminho. Sua Clara escolheu a fantasia pra aliviar as dores da vida.
    Lindo demais Dorli!

    ResponderExcluir
  14. Adorei a história de Clara!Linda, toante!beijos,chica

    ResponderExcluir
  15. Nossa que lindo Dorli, mais com um final triste, como de tantas Claras que vivem por esse mundão. Um emocionante conto, que retrata uma realidade verídica!

    Olá querida amiga, que o fim de semana seja-feliz de montão pra você e toda sua família viu?

    Bjs!

    Maria Machado

    ResponderExcluir
  16. História que retrata a vida quotidiana. Quantas não existiam de igual teor? Muitas, infelizmente

    Gostei da imaginação...

    Deixo abraço

    ResponderExcluir
  17. Olá.

    Fim de semana. Feriado. Para uns, alegrias planejadas. Para outros um estado de concentração, para saudar a Saudade, de tantos outros que estam no andar de cima. Mas, independente do estado espiritual em que esteja, eu te saudo com Paz e Contentamentos.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  18. É a realidade, ainda, de muitas mulheres. Deixo um beijo

    ResponderExcluir
  19. Boa noite,Dorli
    Quem luta,vence.
    Consegui entrar, para lhe dizer que esta Clara me comoveu pela sua bela face,lavada em lágrimas!
    Merecia melhor sorte!
    Porém,hoje em dia,a mulher deve convencer-se de que o casamento não pode ser um remendo que damos à vida,mas sim uma decisão que deve ser muito ponderada,antes de ser tomada.
    Muitos parabéns por este enredo. Dava uma novela!
    Um abraço
    Beatriz

    ResponderExcluir
  20. Com certeza essa história não é única. Infelizmente ainda temos muitas meninas tristes por aí afora. Uma bela história.
    Deixo um convite para responderes a uma tag sobre os teus 10 casais preferidos da ficção. As regras são: lincar quem te convidou, postar o banner do casal ( lá no mattiva), indicar 5 blogs para responder. Não te sintaas na obrigação.
    Grande abraço!
    Sonia

    ResponderExcluir
  21. Olá, querida Dorli
    Sim, o desamor pode nos levar à loucura a todos... tomar isso nunca acontecer-nos!!!
    Que amemos e sejamos amados!!!
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir
  22. Uma história triste e que infelizmente se repete.
    Um bom final de semana.
    Beijos

    ResponderExcluir
  23. Simples, belo, toca na alma...parabéns!

    ResponderExcluir
  24. Bom dia bom feriado!!!!
    Realmente amiga essa é a história de várias
    Claras, Marias e etc... por ai se acabam no sofrimento
    Abraços de sempre

    (.") .
    . /█\..└──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  25. Uma história forte com um final triste, Dorli. Bjos.

    ResponderExcluir
  26. Oi, Dorli, história interessante, retrata bem a vida real. bjsssss

    ResponderExcluir