quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Eu sou João da vida



www.joaopessoa.pb.gov.br1500 × 1000

Eu nem sei bem quem sou e, perambulando pela vida, desde garoto, quando fugi da fome lá no meu querido sertão, vivo por aí, fazendo um bico cá outro lá e moro num barraco sozinho. Tenho vinte e três anos e um grande sonho: ter a minha rocinha, a enxada eu já tenho e muitas forças para o trabalho pesado.
Um dia sentado numa pequena mesa que eu mesmo fiz, cansado, tirei um cochilo, nisso bateram à porta do meu pobre barraco, a porta abriu e um homem já velho quis contratar-me para cuidar do seu sítio, que prontamente aceitei.
Qual é seu nome? Me chamam de João, mas não tenho documento nenhum, fugi da fome, não para enriquecer e sim para juntar algum dinheiro para buscar minha família, queria aprender a ler e escrever.
O sitiante de nome Geraldo, alojou-o numa casinha já com as mobílias e foi cuidar de arrumar seus documentos. Ele tinha influência com o delegado da cidade e não foi difícil tirar uma cópia da certidão de nascimento e, a partir daí João com seus documentos pode ser registrado e frequentar a escola à noite para aprender a ler e escrever.
Passado um ano, João prosperou, pois, o sitiante oferecia alimentação a ele. Em quatro meses João começou a ler e pode buscar sua família lá no sertão. Foi a sua maior felicidade.
Depois de uma semana eles chegaram e todos ficaram deslumbrado da beleza do sítio e o Sr.Gerado disse ao seu pai: seu filho é um batalhador, não tivemos filhos e ele transformou meu sítio em felicidade, que agora será dobrada com a sua família.
E assim o sítio prosperava, mais mãos de obras, tinha de tudo no sítio: frutas de todas as espécies, porcos, galinhas, uma vaquinha para o leite e assim foram vivendo felizes.
O Sr. Geraldo era devoto de Santo Antônio e aquele ano resolveu fazer uma festa no seu sítio, mãos as obras, todos: uns fazendo quentão, outros rapadura, outros bandeirinhas e João foi convidar todo o pessoal dos sítios vizinhos.
Chegou a hora do terço, o rezador era pai de uma linda cabocla que deu uma olhada para João que ficou todo assanhado e feliz.
O tempo passou, João casou-se na igrejinha do sítio com a cabocla linda de nome Izilda e como era de se esperar tiveram vários lindos filhos: uma benção, como diziam os avós.
Geraldo ficou muito doente e morreu, ficou sua mulher a choramingar de saudades. Todos os dias a mãe de João que trabalhava na casa da patroa chegava cedo, aquele dia fatídico resolveu ir mais cedo encontrando-a agonizando ela entregou um envelope, o qual guardou no armário. A patroa morreu.
Passado uns dias, ficaram à espera de alguns parentes e, nada. Foi aí que a mãe de João lembrou da carta e entregou a ele.João leu a carta chorando, pois nela dizia que o casal gostava dele como filho e tinha deixado toda  a herança para ele.
Aí, João chorou...


15 comentários:

  1. Espetacular, simplesmente espetacular!

    ResponderExcluir
  2. Puxa, que linda e o final impactante.Legal! bjs,chica

    ResponderExcluir
  3. Final impactante como disse nossa querida Chica.
    A vida tem surpresas que a gente nem espera.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  4. Oi amiga Dorli,eu não joguei no lixo como sempre faço com todos comentários anônimos,mas esse achei que deveria postar,pois detesto que comentem em anonimato e principalmente tratando-me pelo nome,com certeza só pode ter vindo de alguém que me segue e que esteja com inveja e não tem as inspirações que temos,
    Como diz a Bell,o blog é nosso e temos o direito de nos expressarmos da maneira que gostamos,seja com pequenas palavras,com poesias de amor ou floreados,para dar um pouco mais de alegria para quem os lê.Quem nos visita tem o livre arbítrio de ir à outro espaço e escolher para comentar o que gosta,mas não tem o direito de vir ao nosso espaço e denigri-lo com palavras,mesmo que ínfimas,mas com uma grandiosidade de maldade.
    Adorei seu conto.
    bjs amiga e obrigada pelas palavras
    Carmen Lúcia..

    ResponderExcluir
  5. Amei, muito lindo!!!
    Amiga!!! Desejo a ti, um dia repleto de coisas boas!!!
    Beijokas no coração!
    Soninha.

    ResponderExcluir
  6. Que lindo e emocionante conto, Dorlí
    Gostei imensamente!
    Tenha uma ótima tarde
    Beijinhos carinhosos de
    Verena e Bichinhos

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde,
    Lindo conto com criatividade, resumo que nunca é tarde para aprender a mudar a vida.
    Dia feliz
    AG
    http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  8. Um texto maravilhoso, que em emocionou!

    Beijos
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  9. Dorli que história emocionante maravilhosa, passando pra desejar uma ótima quinta-feira beijos.
    Blog /Fan Page / Twitter /

    ResponderExcluir
  10. Que emocionante história Dorli.E que belo final... adorei!
    Beijos amiga!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  11. MUY BELLA HISTORIA, CON UN CIERRE EMOTIVO.
    UN ABRAZO

    ResponderExcluir
  12. Deus coloca as pessoas certas no caminho das pessoas, o João encontrou seu anjo. Linda demais amiga. Bjussss

    ResponderExcluir
  13. Lindo conto, Dorli, nos mostra que mesmo nos momentos mais difíceis não devemos desistir da fé em Deus.
    Uma ótima noite pra você e um final de semana abençoado!!!!

    ResponderExcluir
  14. Dorli: ha um tempo não nos falamos..que bom te encontrar tão inspirada.abraços meus

    ResponderExcluir
  15. Que emocionante esse conto,Dorli! Um final inusitado que fez João chorar por se sentir tão amado e recompensado! bjs,

    ResponderExcluir