sexta-feira, 30 de maio de 2014

Aos meus visitantes anônimos e amigos



São tantos(...) que fico até lisonjeada de poder ter atingido o meu objetivo: fazer um blog popular, algo para que todos entendessem... E também se identificassem. Contudo, neste momento, não acho palavras para agradecer a todos vocês. Houve crises? Sim. Mas se dissiparam e no lugar está fazendo morada mais vontade de escrever a vocês.
Como posso retribuir tanto amor?
Com uma poesia de amor


****
O nascer d'um amor

hạnh phúc là khi em có anh

Um doce amor de verdade
Nasce com naturalidade
Não precisa de desculpas
E nem sequer de ter culpas

É simples amar uma pessoa
Bate o cheiro do quero mais
De longos beijos sensacionais
E uma música no coração entoa

O coração acelera sem parar
Mãos suam sem dar tréguas
Pernas trêmulas no caminhar
A sensação que andou léguas

É o amor que está nascendo
Para fazer morada no coração
Não se desespere, está amando
Com muito ardor e forte paixão


quinta-feira, 29 de maio de 2014

A solidão da árvore de outono



Pressentindo o inverno rigoroso
Muitas folhas sem dó e piedade
Tal revoada e com a força do vento
Somem como em tempestade(...)

Muitas não conseguem fugir
Caem no chão à serem pisoteadas
 Árvore nua chora não poder sumir
Dos seus galhos caem lágrimas

 Lágrimas na terra viram um rio
Que levam a um abrigo as do chão
Fica totalmente nua em calafrio
A linda árvore que era atração

Passa o outono-inverno muito só
Enfim, chega docemente a primavera
 Brotos de folhas e flores de abricó
Ofuscam de beleza a paisagem inteira



quarta-feira, 28 de maio de 2014

Hoje quero ser feliz



Hoje acordei com uma vontade louca de ser feliz, agarrar na mão do meu amor e levá-lo num campo florido de lindas margaridas. O sol a escaldar nossos corpos, eu a acariciar o seu rosto, olhar nos seus olhos e dizer: amo você e como resposta quero um beijo apaixonado e um abraço bem apertado. 
De repente me aparto de você, começo a correr e como menina a gritar: vem me pegar(...). Nesse instante, você se levanta e corre para me pegar. Mas, não consegue, meus pés parecem vento, levantando poeira depois na terra firme sem as lindas margaridas. Redemoinhos formam a sua frente, consegue driblá-los e me avista bem longe, apressa sua corrida, não conhece o caminho e eu desapareço.Você corre desesperado e numa descida perde o controle e, sem poder parar cai num rio, onde estava a lhe esperar. Abraçou-me com força.
Mas, num ímpeto o sol preguiçoso e com sono se escondeu atrás dos montes mostrando-nos a maravilha do pôr do sol. Depois do deslumbramento, veio a noite fria, não bastasse uma chuva fria que molhou nossos corpos; nos entreolhamos encabulados e nos aquecemos no nosso primeiro amor.
A chuva parou e ali ficamos abraçados, o sono nos veio e fomos acordados com os raios do alvorecer. Entreolhamos envergonhados e rumamos as nossas casas.
Não demorou muito tempo, estávamos no casando; a igreja enfeitada, cheia e um " zum, zum,zum". Era nossa filha que queria nascer. O padre encabulado não sabia o que fazer, carregaram-me para a sacristia e num pequeno cobertor no chão, a menina nasceu. Foi ali mesmo que o padre nos casou.
Enquanto a festa corria a solta com muitos comes e bebes, nós papais já na maternidade sorríamos do inusitado, então o papai disse: êta menina, puxou a mãe.



terça-feira, 27 de maio de 2014

Te gosto


 linha do tempo facebook

(Volto devido a último comentário do Sol, em Haicai)

Eu gosto de Maria, Maria gosta de mim e nós nos gostamos. Será isso uma verdade ou uma conveniência? Eu dou algo a Maria, ela me da algo e nós trocamos favores. Para mim isso só pode ser uma troca. ( Isso é um raciocínio lógico). Concordam?
Nós não fomos feitos de números e sim por sentimentos que deveriam ser: amor com reciprocidade; amizade sem interesse, bondade, humildade, benevolência e inúmeros bem quereres.
Vamos entender o que é um gostar e ter bons amigos?
Para sermos amigos de alguém temos que matar sem piedade em nós um adjetivo: a inveja; a partir daí, com o nosso ser livre dessa praga nos tornamos pessoas benquistas e admiradas pelas pessoas que nos conhecem e que virão a nos conhecer." Uma luz sempre virá nos iluminar na hora do desengano"; pois nem tudo que parece o é.
Se um dia nos decepcionamos com um "amigo", na certeza ele é digno de piedade e não de rancor, pois tentou chegar até nosso patamar e a maldita inveja o barrou, se no lugar da inveja fizesse morada em seu coração a humildade, garanto que seria de gratidão; pois muitas vezes fazemos a um amigo o que não podemos fazer a nosso filho. Não entenderam? Vou explicar: se um amigo está endividado e vem lhe pedir socorro, se tivermos condições, nós iremos socorrer, pois o desespero dele passa para nós e temos que ter um sono tranquilo, sem remorsos. Com o filho, damos duro, mas coração é mole e acabamos socorrendo-o, mas temos o dever de ensinar o caminho certo para trilhar.
Quanto tempo iremos viver? Você já se questionou? Fizemos o bem ou o mal? Se o mal prevaleceu, aí vem o arrependimento fora de hora e sofrerá: 
A dor do arrependimento, da solidão, do abandono e, muitas vezes, num leito de morte, só, querendo pedir perdão, mas sua voz não sai, pois está no fim da sua vida; lágrimas de súplicas correrão dos seus olhos. Mas, de nada vai adiantar, pois não haverá ninguém ao seu lado para lhe dar o perdão, um sorriso e um beijo.                                                       
É muito triste...                                                 



sexta-feira, 23 de maio de 2014

Injustiça




É como uma flecha envenenada, que na surdina, sem dó e piedade atiram pelas nossas costas; a dor da alma transpõe o corpo e adoecemos. Aí, temos os "justiceiros" que conseguem aprofundar com satisfação a flecha até o nosso coração. Mas, Deus não nos abandona e nos mostra alguns amigos verdadeiros que nos dão a mão para não cairmos no fundo do poço. São os anjos que Deus deixou na Terra para nos amparar e com as mãos abençoadas conseguem nos levantar e, juntos morosamente conseguimos provar nossa inocência.
Mas, até que provemos nossa inocência somos piegas de muitas pessoas que agora com a verdade expressa a todos, engasgam com a boca cheia de "formigas" de vergonha.
Quem somos nós para julgarmos os outros? É para isso que temos a justiça que trouxe à tona toda a trama causada pela insensatez de pessoas que tentam nos driblar pelos seus falsos argumentos. Que vergonha!
Agora que a máscara caiu sentirão o triplo da vergonha do injustiçado, mas daí será tarde, a mesma que fez passar aos outros, irá se transformar em pessoas sem credibilidade, podendo até perder seus empregos e, não tendo como sobreviver colocarão a máscara de cordeiro e tentarão entrar dentro do seu próprio umbigo.Mas, como isso é impossível terão até as suas mortes uns dedos em suas direções,apontando aqueles que tinham tudo para se darem bem na vida, agora viraram piegas dos outros.

Aqui se faz
Aqui se paga em dobro
Ninguém escapa

***

Meus amigos

Eu vou parar de escrever por um tempo em Lua Singular
Mas se receber comentários de outras postagens eu as responderei
São mais de 1300 postagens no arquivo do blog.
Estou um pouco debilitada com a minha saúde
Vou cuidar de mim e fazer algumas viagens
No mundo dos Inocentes só vou postar às segundas-feiras
Beijocas a todos

Dorli

Aos meus Visitantes Anônimos
Que me acompanham
Desde 2010
Meus agradecimentos
Eu voltarei

Tchau!!


Haicai - Só uma pergunta



Moro num lugar paradisíaco
Sou linda e levito até as estrelas coloridas 
Quer trocar seu lugar com o meu?


quinta-feira, 22 de maio de 2014

Poeta catador de letras



Hoje quero fazer um lindo poema
Vou catar uma a uma as letras
  Juntá-las sem que me consuma
Num vendaval de letras insanas

Formei a palavra amor, felicidade,
Cristina, eu, o João com seu “cão”
 Atei o amor de Cristina ao meu coração
De triste João virou uma serenidade

E o amor aconteceu na nossa vida
Solidão foi morar na noite mórbida
Beijamo-nos à vista da lua branca 

As estrelas coloridas sorriam o amor
 Jogavam-nos seus reflexos brilhantes
Clareando nossos corpos já delirantes


quarta-feira, 21 de maio de 2014

Ó lua



Ó lua não me abandones nesta solidão
Meus olhos cansados ora fechados
Suplica os teus sábios conselhos
Estou só no amargor da ingratidão

Tu não me sorrias a uma semana
Chorei, sangraste meu coração
Abandonada por ti, eu aqui pequena
Num mar de lágrimas em oração

Ó lua, procure daí o meu amor
Sem ele eu não consigo ser feliz
Preciso dele para sumir o desamor

A noite está fria, sinto o peito doer
Quero os teus abraços a me aquecer
Nesta noite fria, marcada pela solidão



terça-feira, 20 de maio de 2014

Meu amor, eu nunca te esqueci



Por uma bobeira qualquer eu te abandonei, me arrependi, mas mesmo me amando não quis voltar, mas sempre dizia que minha voz era doce e alegrava teu coração, ficava feliz por isso. Sabias que também eras correspondido e o meu grande amor era para sempre.
Hoje, eu lamento minha bobeira de não poder ter-te tido pela vida toda. Nunca mais soube de ti e meu coração dorido diz baixinho: amo-te, eu nunca te esqueci e já se passaram tantos anos, mas ainda sofro com saudades de ti, que, às vezes, entro em desespero.
Muitas vezes, perco o sono e vou te beijar, mas não és tu que dormes ao meu lado, as lágrimas rolam de saudades.
Ninguém sabe que esse amor está guardado num cantinho do meu cérebro(...) Continuei minha vida, vivendo, trabalhando, criando meus filhos que poderiam ter sidos teus. Culpados( Nem eu e nem você ) E tenho certeza, se estiveres vivo ainda, recordas do nosso amor platônico, cheio de anseios e sonhos que se acabou com um longo voo.
Sinto e sofro ainda com saudades de ti, que intensamente invade meu peito, levando-me ao desespero em ver que simplesmente amando-te vivo a sofrer docemente.
Este amor ficou na saudade, sinto a tua falta, pois sei que jamais te verei, então, jogo ao vento: amo-te com todas as forças divinas.

 

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Quero morrer de amor



dança,mulher,amor,um
 love end

Amor estamos num infinito obscuro
Não sei como aqui chegamos(...)
O bailar das nuvens é mau agouro
Tal morrer de amor como ansiamos

Aqui sós, seremos só um corpo
Embebidos numa só louca paixão
Em desvarios num rápido lampejo
De nos possuirmos até a morte 

Até a lua, estrelas fugiram daqui
Quero teu corpo, tua alma, tua mente
Sou teu anjo mau indecente
Que te beija, te bebe, te deixa aqui

Tu mulher amaste um anjo mau(...)
Pra viver preciso beber teu sangue
Sou o vampiro da noite da forte nau
Que navega num lugar que me agregue




domingo, 18 de maio de 2014

Cascata do amor


Quantos véus de lindas noivas
Tentam a morte nas cascatas
Mas nas pedras lisas dos amores
Destroem seus falsos rancores

No limo das pedras escorregam
Se agarram nos pequenos galhos 
Respiram os seus orgulhos
E n'outra beleza se recompõem

Em águas mansas seguem os véus
À procura d'um novo amor
Um vento forte diz triste adeus
Tal peixes sobem a cascata do amor

Em cima da cascata cada jovem
Agarra o véu do seu amor
Na igreja o coloca nele e se comove
Estremece, perder esse esplendor?



sábado, 17 de maio de 2014

Haverá um dia... miniconto



Não haverá de levar muito tempo com a ganância do homem, o mundo irá virar um enorme deserto. E nós? Iremos morrer pouco a pouco. Os rios irão secar, as florestas desaparecerão, não haverá o perfume das plantas, os animais acabarão da face da Terra e na areia não germinará nenhum grão.
E nós? Vai ser uma grande briga; uns querendo matar o outro para comê-lo, os pequenos oásis irão sumir aos poucos, só não irá desvanecer o nosso rico dinheiro.
De que valerá o dinheiro no deserto? Não teremos como gastá-lo, então uma grande ventania de areia o expulsará. Mas haverá uma chance se no chão de areia brotar uma linda flor.
Que tal repensarmos nossas vidas para voltarmos a viver num lindo campo com lindas flores e regatos para tudo recomeçar?...Só depende de nós.



sexta-feira, 16 de maio de 2014

Contrato de professora-l923 (reeditando)




Este é um acordo entre a senhorita......................., professora, e o conselho de
Educação da Escola............, pelo qual a Senhorita...................... concorda em
ensinar por um período de oito meses, começando em 1º. de setembro de 1923.
O conselho de Educação, concorda em pagar à senhorita...................a soma de setenta e cinco dólares por mês.

A senhorita...............concorda com as cláusulas:

1.  Não casar-se. Este contrato torna-se nulo imediatamente se a professora se casar.
2.  Não andar em companhias de homens.
3.  Estar em casa entre 8 horas da noite e às 6 horas da manhã a menos que esteja assistindo a alguma função da escola.
4.  Não ficar vagando pelo centro em sorveterias.
5.  Não deixar a cidade em tempo algum sem a permissão do presidente do Conselho de Curadores..
6. Não fumar cigarros. Este contrato torna-se nulo imediatamente se a professora for encontrada fumando.  
7. Não beber cerveja, vinho ou uísque. Este contrato torna-se nulo imediatamente se a professora se a professora for encontrada bebendo cerveja, vinho ou uísque.
8.  Não andar de carruagem ou automóvel com qualquer homem exceto seu irmão ou seu pai.
9.  Não vestir roupas demasiadamente coloridas.
10.Não tingir os cabelos.
11.Vestir ao menos duas combinações.
12.Não usar vestidos mais de duas polegadas acima dos tornozelos.
13.Conservar a sala de aula limpa.
     a) varrer o chão da sala de aula ao menos uma vez por dia
     b)esfregar o chão da sala de aula ao menos uma vez por semana com água e sabão.
     c) limpar o quadro-negro ao menos uma vez por dia.
    d)acender a lareira às 7 horas da manhã de forma que a sala esteja quente às 8 horas, quando as crianças chegarem.
14.Não usar pó no rosto, rímel, ou pintar os lábios.

Publicado em O Dia, Educação. terça-feira, 2-5-00     


Lua Singular comenta: Por 75 dólares, a professora precisava se anular completamente.
Que horror! Com toda certeza sobravam vagas. Ainda a gente reclama!! -Aconteceu nos Estados Unidos.


quinta-feira, 15 de maio de 2014

Olvidar ( ficção)




Meu passado de criança sofrida 
Sem mesa farta para saciar a fome
Os refrigerantes que não bebia
O chocolate que ficou na vontade

Olvidei

A juventude sem vestido de rendas
Os namoricos belos nas esquinas 
Os vestidos simples para ir aos bailes
Os suaves beijos das paqueras

Olvidei

Os livros usados que não os lia
 Escondia debaixo do colchão de palha
As revistas em quadrinhos de amor
O velho cinema que entrava de favor

Olvidei

Só não esqueci do desejo que sonhava
Não fui aquela e ágil bailarina do futuro
Brinquei a vida e agora o meu orgulho?
É difícil olvidar o futuro que imaginava

Jamais olvidarei



quarta-feira, 14 de maio de 2014

Desesperança




Tu partiste pra bem longe
Deixaste um vazio no ar
Com promessa de voltar
Fiquei no voo da saudade

Beijaste-me ferozmente
Senti no peito que voltarias
Mas, na vida nada se sabe
Vou cozinhando as amarguras

O sorriso fugiu do meu rosto
Flores choravam por mim
Fiquei presa, mais num dia ido
 Corpo ardia, estava afim

Passou uma brisa cheirosa
 Sorriso voltou aos meus lábios
Pegaste-me no colo e suspirosa
Beijei teu peito com ensejos


terça-feira, 13 de maio de 2014

Aqui tudo acontece.kkkk


Já viram o pôr do sol às 11,30h ? Ontem...

Seca no Mogi Guaçu-Cachoeira de Emas

Comportas abertas- águas fluem vagarosamente

Dia das mães : filhote 31 anos- eu quase 67

Restaurante Beira-Rio =Cachoeira de Emas

Restaurante Beira-Rio= Cachoeira de Emas


Criem seus filhos com amor e receberão em troca esse lindo carinho
A vida é só uma passagem para desperdiçá-la por bagatelas
Vamos curtir a vida na sua maior intensidade
Amanhã poderemos não estar mais aqui
Aguenta coração !!!



segunda-feira, 12 de maio de 2014

Saí de mim mesma!!!



Estou só, já não tendo mais razão de viver quero morar n'outro mundo onde não há saudade, dor e desamor entre os homens, pois aqui na Terra está difícil conviver com nossos irmãos. Vivemos em meio a constantes manipulações, o amor se tornou interesse e o que era romantismo virou monotonia.
Eu nasci com um coração para amar meu parceiro, mas sinto que ele vem me trocando pelo interesse de crescer na vida e mal me diz oi quando nos encontramos e, à noite quando deveríamos nos amar me da um rápido beijinho, vira e ronca.
Resolvi sair de casa bem tarde da noite com um saco enorme nas costas. Abri a porta sorrateiramente, estava na calçada; a rua deserta e, caminhando cheguei num campo de capim verde já conhecido por mim, esparramei as plumas na grama, ela estava molhada.
Me aconcheguei dentro da minha cama de pluma, olhei o céu. Ele estava lindo! As estrelas coloridas brilharam minha beleza, a lua sorriu para mim, nisso vi um lindo anjo com um par de asas brancas, quando ele me viu, minha beleza o atraiu como um ímã, voou em minha direção, nada falou, pegou-me no colo e me levou para o infinito.
Lá tudo era lindo: a lua veio me receber e de longe as estrelas coloridas apagavam sua luminosidade desejando-me boas vindas.
De repente começou a chover forte e ouvi janelas baterem, senti que alguém me beijou e disse: acorda meu amor, está chovendo e nós perdemos a hora para trabalhar. Demos um pulo da cama e chegamos uma hora atrasados no serviço, a qual compensamos no horário do almoço.
Tentei fugi de mim mesma, mas era ao lado que meu amor que a vida valia a pena. Tudo foi um lindo sonho...