terça-feira, 31 de março de 2015

Monotonia



 flores de amor


A monotonia é meu espinho de hoje, que será a flor do amanhã. Por hora bebo dela, apesar de não ver as flores empobrecidas, sinto uma angústia que dói meu peito e me pergunto. Por que? Talvez seja um momento em que meu estado de espírito precise de outros alimentos. 
Mas sou forte e vou cultivar a vida, pois do contrário quando a lua me ver, empalidecerá. Eu amo a lua e sinto vergonha de mim mesma, pois ela trabalha sem descanso e eu aqui a choramingar fagulhas de vida.
Não, enquanto eu fico nessa monotonia que me consome, muitos não têm nem onde morar e vivo bêbada de vergonha de mim. Minha palavra não é como estrelas que à noite brilham a vida dos eternos enamorados. Vou vagar como elas, pois a ociosidade está me envenenando.
Na calada da noite, a brisa beija minha pele e na beleza do céu colorido volto pra casa com um propósito: sou jovem, bonita e saudável - nada me falta para ser feliz, afronto a mim mesma.
Parei de lamuriar e na batida do tempo apago a sede da monotonia para aprender a ser feliz.

segunda-feira, 30 de março de 2015

A janela





Abro a janela do quarto. Quero conversar com o céu. De repente as nuvens pareciam querer ver o céu  reluzente que invadia meu coração, ele queria falar comigo e um véu de neblina pairou no ar. Um chuvisco preguiçoso caía  e uma brisa gostosa passou pelo meu rosto. O chuvisco engrossou e a chuva caía deixando as folhas do meu pequeno jardim reluzentes.
Olhei da janela o jardim inteiro sorria a chuva e ele a bebia toda formando pequenos charcos. A chuva parou, os charcos a terra os engoliu, as flores sorriam e os girassóis procuravam o sol que logo despontou.
Chegando perto da noite meu pequeno jardim dormiu e com ele alguns sabiás.Voltei à janela, ainda deu tempo de ver o pôr do sol embriagado querendo dormir.
De repente ouvi o sussurro do vento a insultar meus ouvidos. Olhei o céu estava estrelado todo iluminado para a chegada da lua formosa, que ao me ver na janela sorriu.
Num instante senti o cheiro do vento, fechei a janela, mas mesmo assim insistia em me ver, puxei a cortina, ele me viu e feliz foi embora.
O sono veio e após o banho, fui dormir, só,numa enorme cama e chorei a saudade do meu amor.


domingo, 29 de março de 2015

Nos caminhos e trilhas da vida



Palmilhei os caminhos da vida
Por entre atalhos me perdi
Num mundo cheio de orgia.
E já na calçada da vida...
Um anjo veio me resgatar
O belo coração generoso
Do roceiro Severino...
Que no seu pequeno sítio
Pôs-me no trabalho acertado
Hoje tenho uma vida digna
Aqui me casei com a Rosinha
Que me deu airosos filhos
Agradeço ao Severino
Quanta felicidade!
Obrigada meu senhor!

sábado, 28 de março de 2015

Eu queria





Eu vou entrar na tua alma
Acariciar-te com minhas macias mãos de seda
Atravessá-te por inteiro e beijar
teus lábios que ontem 
ainda eram de carne
E um acidente nos uniu aqui
Até o fim dos tempos

Obrigada pelas visitas:
Nádia- Nal - Cidália - Chica e Lilly

sexta-feira, 27 de março de 2015

O beijo que não lhe dei



francesco hayez il bacio


Eu amava Marina de lindos cabelos da cor do pôr do sol, seus beijos, às escondidas, eram quentes, até que um dia ela engravidou. Chegou pra mim aos pranto e disse que seu pai não iria passar vergonha no vilarejo onde morávamos e, no outro dia iria para a França e que não o aceitava como marido para sua filha.
Jonas emudeceu, chorou muito e Marina bebia suas lágrimas que se misturavam com as delas.
No outro dia de longe vi a amada pegar o navio, o sol acordava e seus raios brilhavam mais seus cabelos. De longe só olhava.
Quando ela estava subindo as escadas, virou para trás e balançou o lenço para mim. Foi a última lágrima que desceu, tinha que ser forte, pois ela nunca mais iria voltar.
O tempo passou...E como passou e, meu pai trouxe uma linda jovem morena de cabelos compridos para me conhecer, seu nome era Julieta. Não demorou muito tempo com ela me casei, sem nunca tê-la beijado na boca.
Não podia dar meus beijos a nenhuma mulher e ninguém irá roubá-los e o casamento aconteceu, na igreja levantei o seu véu e beijei sua testa, ela chorou.
Nossa vida foi sempre assim, filhos nascendo, beijos nenhum, mas a tratava bem e nunca a traí com ninguém.
Um dia, acordei tarde para o trabalho, Julieta continuava na cama, peguei-a pelo braço e este estava frio. Julieta morreu e eu sou o culpado apesar de não amá-la, nunca lhe dei o que todas as mulheres querem: o beijo apaixonado.
Hoje sofro a solidão, meu pecado: o beijo que não lhe dei, pois em qualquer tempo a mulher só se sente amada se for acarinhada e beijada.
Hoje só, pois meus filhos se casaram,. um filme passa sempre à minha frente: a partida de Marina e o descaso com Julieta, a jovem linda que nunca a beijei na boca e sinto que a matei.

 


Atenção
Fui arrumar a outra postagem
bati o dedo errado e excluí
Desculpem
Amanhã a recolocarei outra vez
Dorli


quinta-feira, 26 de março de 2015

Identidade confusa


girl back hair


A vida foi minha confusa identidade. Era bem jovem quando senti a dor do parto que culminou com a morte do meu pequenino bebê, filho de Eduardo que sumiu das redondezas da cidade quando ficou sabendo da gravidez. Apanhei a paulada do meu pai que tentava esconder a sua vergonha fechada num quarto escuro por um ano.
Ano suficiente para que eu pudesse escrever meu diário de sofrimento psicológico, onde minhas necessidades físicas rapidamente eram num banheiro fedorento, aproveitava para o banho de bacia com sabão de soda. Ali fiquei trancada durante um ano.
Um dia, meus pais tinham que viajar perto para o enterro do meu avô e me deixou trancada no quarto a deus dará. Que bom!Nem sei a força que fiz para quebrar aquela portinhola velha, sair com alguns pertences e sumir.
Parei para descansar num banco joguei meu diário fora e sozinha conversando com a vida, chorei minha desgraça. Neste instante passa por mim um cachorrinho lindo, muito bem cuidado e pulou no colo. Acarinhei-o e ele começou a me lamber. Fazia tempo que não sorria até gargalhar, nisso aparece um jovem esbaforido e ao ver o cachorrinho sorriu e ele pulou no colo de seu dono.
Conversamos um pouco e condoído da minha triste história me levou para sua casa. Quando chegamos, estremeci ao ver a beleza da sua mansão e não quis entrar. Aí, ele me pegou pela mão disse que se chamava Artur e entramos.
Já dentro da mansão aparecem seus pais e sorrindo para mim perguntou ao meu filho: quem é essa jovem linda e tão sofrida? ele respondeu: minha namorada e futura esposa. Desmaiei.
Contei aos pais de Artur toda a minha história debulhando em lamentos. A mãe de Artur disse que eu, sua futura nora iria ser a jovem mais amada do mundo para compensar os maus tratos que meu pai fez comigo.
Já de maior idade, casei-me com Artur que estava radiante de felicidade e me disse: vou amá-la para sempre, abracei-o chorando, beijei seus lábios e disse que o amor era recíproco até a morte.
O enlace aconteceu, o passado morreu. Nasci no dia em que conheci Artur. 



quarta-feira, 25 de março de 2015

A mais linda mulher




Pra mim
 És a mais linda mulher
São anos de amor
Com fidelidade mútua 
Nós ficamos velhos juntos
Eu amo esse teu olhar
Dancemos a vida
As belas recordações
Tivemos filhos amados
Que Deus nos deu
Abençoados com saúde
Inteligência e muita dignidade.
Com nosso dever cumprido
Vivemos hoje felizes, a sós
 Numa linda e enorme casa
E perfumado jardim.
O teu cheiro 
Ainda é o mesmo
Cheiro de amor e lealdade
De amor sem fim
Da mulher mais linda
Que muito
 Adoro

 

terça-feira, 24 de março de 2015

Crônica: Pessoas mudas




Em qualquer esquina, nos becos, nas mansões, nas favelas; enfim, em todos os lugares se não houvesse os meios de transportes, as cidades ficariam mudas, as pessoas só fazem gestos: é a conversa tecnológica que assola o mundo atual. Não tenho celular, pois gosto de uma boa prosa e, muitas vezes cômica em entidades fazendo os pacientes rir da minha própria idiotice, mas faz tão bem...
Já se foram os tempos bons de outrora, das cadeiras na porta da rua, a conversa correndo a solta, os bolinhos de chuva e o suco de laranja feito no espremedor a mão.
Os meninos brincavam na rua sem asfalto, de chão batido, com bolinhas de gude, e nós meninas com bonequinhas de pano surradas pelo tempo.
As mulheres sentadas, depois de falarem mal alheio, contavam às crianças, causos que nos encantavam pelas suas criatividades, muitas delas analfabetas, mas de uma sensibilidade mil.
Naquele tempo a felicidade e o desprendimento fazia morada em nossas vidas e hoje dói a saudade d'um tempo que não volta mais.
A conversa que antes era natural, hoje só se ouve o barulho das buzinas e das balas num tiroteio que mete medo em qualquer cidadão que antes andava de madrugada pelas ruas e nada acontecia. Não escapa ninguém de um infortúnio e não adianta gradear as casas, pois os ladrões, escondidos, nos pegam quando acionamos o portão eletrônico.
Ainda falta muita tecnologia para a segurança. Só escapam hoje os "coronéis" que trafegam em carros blindados com motoristas e seguranças treinados
Essa é nossa vida solitária. Não se ouve mais nem o gorjeio dos pássaros. É triste demais...


segunda-feira, 23 de março de 2015

Meu eterno amor




Espero ansiosa
Meu amor que está por chegar.
O tempo passa
 Nada, a lua chora meu sofrer.
No meu desencanto
 De longe tento pegá-la.
Não há estrelas
A lua emudece a noite
Chove, chuva miúda
Mistura com as lágrimas
Que debulho
No meu colo ávido
De mil desejos sutis
Lua dorme
A noite vira um breu
Nesse instante
Alguém me agarra e me beija
Sabia que viria
Meu eterno amor

domingo, 22 de março de 2015

Não me esqueças




Meu amor
Quando estiveres longe de mim
Por esse céu sem fim
Nunca esqueças
Que tens em casa a tua espera
Uma mulher 
Que te ama
"Cuidado meu bem"


sábado, 21 de março de 2015

Água nossa de cada dia ( 22/03)



A água na Terra nunca irá se acabar, mas poderá se transformar de uma tal forma que daqui a quase um século ela poderá ser inútil para os seres viventes e as plantas. Vejamos:
Atualmente o povo está brincando com a água e o seu desperdício ameaça as reservas d'água e se os órgãos competentes não tomarem sérias providências irá faltar água em muitas metrópoles.
Na minha modéstia opinião todo o município deveria ter um departamento de água  e esgoto isolado da prefeitura, pois assim a água seria cobrada como a energia e o telefone e, com certeza todos pagariam a água que não seria barata como é, economizariam e se não pagasse na terceira conta com avisos de corte a água seria cortada.
Tenho absoluta certeza que todos iriam pagá-las e daria para fazer mais reservatórios para o município e seus funcionários seriam concursados, mas poderiam ser demitidos por incompetência. Daí o medo da demissão todos trabalhariam pra valer. Falo isso porque trabalhei num departamento de água e esgoto e todos trabalhavam bem e era muito difícil algum funcionário ser mandado embora.
A água na Terra é subdividida em 97% salgada, 2% gelo e 1% de água doce e com as queimadas em série, a terra ficará pobre e as mananciais irão secar em algumas regiões, onde a seca fará morada trazendo prejuízos para a municipalidade. Falo, mesmo porque minha cidade é rodeada de canaviais.
Com as mudanças bruscas das temperaturas as geleiras que são de água doce irão derreter, se misturarão com as águas dos oceanos que são salgadas e os mesmos com tantas águas irão acabar com as lindas cidades praianas e mais para frente, se persistir o descaso, as ondas virão mais fortes e suas águas irão se misturar com as águas dos rios. Agora pergunto quem sobreviverá bebendo água salgada?
Os ricos viverão por algum tempo com as máquinas dessalinizadoras e nós da classe média e os pobres, morreremos todos. 
Em alguns lugares estão usando essas águas. Agora pergunto: Quem poderá pagar uma garrafinha dessa água a 4 reais cada? Eu não poderia pois tomo de 5 a 6 delas por dia.
Mesmo com a invenção das máquinas dessalinizadoras caseiras, onde as pessoas irão buscar água?
As máquinas de dessalinização( que são caríssimas) dariam conta de retirar todo o sal da água do planeta? De onde viria a chuva com a seca global? Meus Deus, que todos tenhamos consciências.


sexta-feira, 20 de março de 2015

Velhos outonos.



تصاویر متحرک عاشقانه


Saudades dos velhos outonos
Com encontros nas estradinhas
Só nós dois de bicicletas.
Folhas secas caindo
Enfeitando o nosso amor
O amor era de sonhos e promessas
De ingenuidade da mocidade
Ganhava um gostoso beijo roubado
Onde o coração acelerava
Um amor antigo
Um grande amor verdadeiro
Onde concretizamos nossa união
Na estação de outono
Onde cada beijo
Meu corpo enlouquecia
De paixão
Quantas saudades!!!



quinta-feira, 19 de março de 2015

Distanásia


 uti

É difícil você amar uma pessoa: marido, pai, filho ou algum parente e um deles ser acometido por uma doença incurável e vai para a UTI. Seria mais fácil usar a eutanásia; mas só Deus pode tirar a vida de uma pessoa.
A dor é muito grande, mas preferimos, então, usar a distanásia que é não desligar os aparelhos que o mantém vivo, tendo a esperança infinita que o doente volte do coma. Eu viveria a vida na esperança que Deus fizesse um milagre e curasse  o enfermo. Há muitas pessoas que não têm esse desprendimento, fé e amor e pede ao médico para desligar os aparelhos e, a morte sorri.
Como seria a vida dessa pessoa pensando que o doente pudesse estar vivo, sorrindo para ela e hoje o que acomete é um choro infinito.
Há casos que após muitos anos a pessoa acorda e daí, como como ficaria sua consciência se preferiu a  eutanásia  que a distanásia Sua vida seria um desastre mental.
Só Deus tem poder no destino do ser humano. Qual é a sua opinião?



Vazio




Abraço a solidão
Que me embrulha nos braços
Hoje só o vazio frio.
Costuro meu pensamento na saudade
Que atou meu doído coração
No teu.
Sonho teus beijos quentes
Teus abraços são minha inspiração
Queria encontrar-te
Uma única vez par dizer-te
Eu nunca te esqueci
Volte!!
Eu te amo

terça-feira, 17 de março de 2015

O fim do mundo...


stephen mackey prints


A lua pergunta as estrelas aonde andará a linda garota que todas as tardes no balanço voava seus lindos sonhos numa alegria sem fim. Sinto sua falta, estou sentindo que algo estranho está por acontecer. Preciso saber.
A linda garota está em sua casa com seus pais orando...Mas agora nenhuma oração adiantará, pois Deus se irritou com a sua criação.
A bela garota nunca sairá de casa, pois lá fora o desastre será horroroso. Todos estão trancados dentro de suas casas ou apartamentos desesperados, lá fora chove em abundância e quem mora em prédios altos verão toda a destruição da Terra.
Os bons,  crianças inocentes, as pessoas que obedeceram a Deus e os animais, sumirão para um lugar maravilhoso onde não haverá choro e nem ringir de dentes.
Nenhuma outra pessoa sobreviverá, pois ficará viva enquanto tiver alimentos e água, depois uma tentará comer a outra,  a fome e a sede , doem. Beberá o sangue como água e a carne como alimento e depois um de cada vez morrerá de fome 
Tudo sumirá da face da Terra, e o céu chorará o fim do mundo, mas a lua, então entendeu que a garota que voava no balanço deveria estar n'outro mundo maravilhoso.
A lua dando um giro nesse outro mundo sorriu quando a viu balançando toda feliz.
E a humanidade foi por muito tempo avisada. Que pena!


Perdi meu amor




As lágrimas deslizam meu rosto
De mãos dadas caminhamos às praias
O pôr do sol desceu embriagado
Emudeceu as borbulhas das ondas frias

Nessa noite de céu estrelado
Olhou meus olhos e disse adeus
Chorei, implorei um abraço
Pedi, então, os últimos beijos teus

O tempo abalou teus sentimentos
Tu voltas para pedir  o meu perdão
 Gelou ao ver minha triste feição
 Olhando a bela praia sem alento

 Abraçou-me bem forte e chorou
Me perdoe amor fui ingrato
Saí a procura d'um amor agitado
Foi só tu quem me amou 


domingo, 15 de março de 2015

Sonhei com a morte ( miniconto)




Essa noite eu sonhei que a morte veio me buscar e eu feliz disse: já era tempo, pois noutro mundo quero ser feliz, quero voltar a juventude e desfrutar da beleza d'um mundo onde não haja sofrimento, mediocridade e o amor entre as pessoas seja eterno. Um amor diferente que nunca trará desavenças, pois seremos almas e elas não têm dor.
Voar sem asas todo o céu infinito, as nuvens passam entre nós numa suavidade imensa. O nosso sentimento será o perfume inebriante que todos teremos sem distinção e por vezes afundaremos as águas dos oceanos, lá dentro nenhum animal só uma suave música para o nosso deleite.
Nesse mundo todos temos da mesma cor, bonitos e sorridentes e nossos dentes brilhantes como pérolas. Dormir? Nunca dormirmos, as almas não dormem.
Nisso aparece um homem alto, do seu corpo saíam raios de luzes coloridos e com um sorriso disse: Vim saber de vocês, todos deitamos no chão e ele disse: abençoados sejam vós, deu meia volta e sumiu.
Acordei...Que infelicidade! Ainda não chegou a minha hora.


Consciência Crítica



A consciência crítica é uma forma de buscar compreender o mundo, analisando-se de forma concreta e não pelas aparências. Ela não é enganosa e busca os porquês reais sem ilusionismo.
Ela analisa, experimenta e critica os fatos.
A consciência crítica derruba o véu das ideias preconceituosas, leviandade, mentiras para poder criar uma razão para entender o sentido propriamente dito das coisas.
O agir do homem não é aleatório no que concerne ao fato histórico com começo, meio e fim. Nada é eterno, se tem um começo terá um fim.
Tudo que é criado é histórico, então não é absoluto, mas relativo. É incompleto, é precário, relativo e possui vazios que precisam ser preenchidos.
Quando o noticiário da televisão começa vê-se mais imagens do fato em si do que se quis dizer ou mostrar.
Em qualquer guerra mostra-se muito mais os horrores cometidos e não dão ênfase das causas da guerra.
Um político quando vai fazer um comício faz promessas mil que nos impressionam e depois não percebemos que fica o dito pelo não dito, pois ele não vai conseguir cumpri-las na sua totalidade.
A consciência crítica traz a verdade das coisas, nos deixando mais atentos e alertas e bem comprometidos e já a consciência ingênua aceita o que vê.
Enquanto um é ser mentalmente simples, sem projetos para o futuro o outro luta por mudanças e tem compromisso com o futuro.



sábado, 14 de março de 2015

A consciência ingênua



O ser humano é dotado de consciência em relação ao mundo. Há muitos anos os povos tinham pouca compreensão e as condições de vida só traziam a eles apenas um pequeno salário de sobrevivência, portanto tinham uma consciência ingênua.
Essa consciência ingênua é a aceitação passiva da realidade, tudo está certo sem questionar a veracidade dos fatos, está satisfeito com seu mísero salário e fica alineado ao mundo.
A consciência ingênua está nas pessoas que aceitam tudo e irão passar a vida inteira como burros e bestas de cargas e viverão sempre na miséria. Não questionam.
Até hoje há pessoas que dizem sim sem objectarem, tudo está bom e aceitam passivamente o que lhes impõem. 
Essa não é minha consciência!!


Dia da poesia:14/03/2015

A poesia é o bálsamo
Que envolve
Nossos sonhos

Parabéns a todos os poetas
e poetisas
Que encantam de emoções
Nossas vidas


quinta-feira, 12 de março de 2015

Ideologia




Ideologia é um saber cheio de buracos, onde a camuflagem se faz presente a todo instante, é só um pensar e dizer as coisas pela metade. É como dizer: o Brasil é o melhor país do mundo. Pergunto: por quê? Porque tem lindas mulheres, ótimo carnaval e o resto? E a nossa política é a  melhor do mundo? Fala-se tudo sem falar o todo, vira então uma lacuna  num pensamento dito por  qualquer pessoa ou a dos parlamentares.
Terminando, pergunto:
Já viu quanto você paga de imposto em cada coisa que compra? Peça o recibinho. Talvez você emagreça, reforme suas roupas, ande descalço e se ficar doente, sem dinheiro vai na emergência do SUS, é grave, aí você morre e os parentes pedem à prefeitura fazer o seu enterro.kkk
30% é muito imposto.

quarta-feira, 11 de março de 2015

O ato de enganar ( roupagem nova)




Como é difícil ter que conviver com sujeitos que enganam, ou seja, tentam nos enganar. Enganam alguns cidadãos, mas não todos eles.
Eles quando procuram enganar um outro muito esperto, se da muito mal, pois não discernem que existem indivíduos mais espertos que eles.
A vida é um jogo, um dia se ganha, outro se perde; mas tem quem não assume seus fracassos e consegue enganar-se a si próprio. Aí, é deplorável.
Quando um indivíduo, principalmente que não conhecemos e mora bem longe de nós e, com a tecnologia de hoje, começa a dizer que faz isso, tem aquilo; não se deixe enganar. Aí mora o perigo, pois ele não é nada, não tem nada. Mente e não conseguimos ver as suas mudanças faciais, pois há uma barreira entre nós.
Quando temos contato físico fica mais fácil saber quando eles mentem e tentam nos enganar com palavras maviosas  e não precisamos ser videntes para perceber as fraquezas deles, pois neles tudo muda: o olhar modifica, gesticula muito, muda o tom de voz várias vezes e seus sorrisos não têm graça.
Eu sinto pena! 
Enganar os outros para eles pode ser normal, mas o ato de enganar é crime e como temos que viver em sociedade "Locupletemo-nos todos".


Peça teatral




Venham prestigiar uma peça teatral, onde o protagonista nos ensina que a vida é uma tentativa de ensaios e vivências; mas ele não pode chorar, mesmo com o coração entristecido, a peça é uma comédia.


terça-feira, 10 de março de 2015

Minha vingança



Chegou nosso grande dia e tu não vieste. Adentrei meu quarto e pela janela estou a amaldiçoar-te: Por onde andares minha sombra irás acompanhar-te tirando o teu sossego até tu voltares  e no altar eu poder dizer: Não.


segunda-feira, 9 de março de 2015

Meu querer



Hoje quero ser um anjo
Voar entre as brancas nuvens
Sentir o frescor do novo
Limpar a alma de ferrugens

Quero conversar com as nuvens
Pedir a ela um lindo amor
Que me faça sentir as aragens
Que ouça meu clamor

 No corpo o carinho do vento
Depois a brisa a me sorrir
Quero bailar e causar espanto
Até a nuvem vir interferir

Mas tenho que acordar agora
Devo deixar desse sonho
Sentir os pés na terra afora
Não sou anjo, fiquei tristonho