terça-feira, 13 de junho de 2017

Cinzas do passado





Em meio a bailes e vinhos, vivi por dez anos. Hoje já envelhecida volto pra casa. Era linda rosa no seu desabrochar, mas o tempo encarregou de me presentear com rugas e cansaço, volto para minha família com as mãos "abanando".
Já com meus trinta anos, ar de sofrimento quem haveria de amar uma vadia? Nada guardei, comia restos das panelas na casa da minha mãe que se envergonhava de mim, com razão.
Um dia deitada numa cama feita de palhas, revirei meu passado que foi uma farsa; sonhei alto e o tombo foi dolorido. Mas o que estiver preparado pra mim, será.
Meus pais moravam num pequeno sítio e ninguém sabia do meu passado e para sobreviver com dignidade comecei a trabalhar na roça. O Sol transpunha meu chapéu de palha e os suores caíam por terra. Era o que eu merecia, pois fiz mamãe chorar quando fugi para a capital.
Num domingo ensolarado fui dar um passeio pelo sítio quando vi um moço com a aparência de seus trinta e cinco anos que me parou para conversar e disse que a tempo vinha me observando e estava apaixonado por mim. Apaixonou-se por mim? Nem me conhece direito.
Conheço sim, você não se lembra? Deitei com você numa cama com lençóis de cetim, fiquei louco por aquele corpo. Ali na zona eu a amei. Envergonhei-me dele e chorei.
Não chore, eu a amo e iremos nos casar, vou conversar com seus pais para os preparativos do enlace.
Nos casamos no civil e o padre da capela nos abençoou. Estava linda toda de branco, houve uma festa no sítio e a dança foi pela noite adentro, mas antes disse aos seus pais: amanhã vamos voltar para a capital, tenho que trabalhar, as férias estão terminando, moro sozinho e temos que comprar muitas coisas para a casa, agora vou levar a dona do lar comigo.
Eu não tinha idade para engravidar, mas Deus quis que eu tivesse um filho. Foi uma gravidez de risco, mas correu tudo bem.
Hoje somos em três muito felizes, graças a Deus.

5 comentários:

  1. Tudo está bem quando acaba bem.
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, é uma historia com um final feliz, os tempos hoje são outros, a mulher conquistou a sua independência para desfrutar da liberdade(ainda bem), no amor o passado não conta.
    AG

    ResponderExcluir
  3. Que conto lindo Dorli!
    Veja que quando a pessoa deseja ter outra vida,que não seja tão fácil,com garra e vontade ela consegue sair e ainda encontra alguém que a faz feliz.
    Seus contos sempre nos surpreendem,adorei.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  4. Um lindo conto, onde tudo acabou bem, depois de um tempo difícil, veio a felicidade
    Beijos.

    ResponderExcluir