sábado, 4 de janeiro de 2014

Fragmentos de amor



 Daniel e Fernanda viviam juntos havia exatamente dois anos, desse relacionamento nasceu Priscila, hoje com apenas um ano de idade.
 Um casal de dar inveja, tamanha era o comprometimento que um tinha pelo outro e Priscila só veio enfeitar o que já era lindo por natureza.
 Um dia, Fernanda recebe um telefone de sua prima Clara que morava na capital que vinha passar as férias na sua casa. Ficou contente, adora sua prima.
 No domingo Clara chegaria de ônibus e, enquanto ela fazia um almoço especial pediu a Daniel para ir buscá-la na Rodoviária, pelo celular Fernanda disse a Clara que Daniel estaria com uma camisa branca e na mão uma rosa vermelha.
 O ônibus parou e não foi difícil o reconhecimento e Daniel aproximou-se de Clara com a rosa vermelha na mão e não sabendo o que fazer com ela entregou a prima.
 No caminho pouco conversaram e, já na casa, desfez a mala, tomou um banho e foi almoçar. Uma comidinha cheirosa, típica do interior, mas tudo com muito esmero.
 Daniel era autônomo e sua mulher professora, conclusão: enquanto Fernanda saía com a filha para a escola a prima ficava sozinha.
 Um dia, Daniel voltou para casa e a porta do banheiro estava entreaberta e não resistindo a tentação, abriu sorrateiramente a porta do box e ficou estagnado com a beleza do corpo da jovem, ali mesmo fizeram amor.
 No outro dia Clara foi embora e Fernanda desconfiada quis saber o que havia acontecido e ele chorando muito explicou o ocorrido e ajoelhando ao seus pés pediu perdão.
 Fernanda nada disse e aos poucos foi juntando os fragmentos dos sonhos vividos com seu amor e se perguntou: e se fosse comigo? Gelou. Seu coração palpitou o medo da perda e abraçou Daniel.
 Recomeçaram sua vida ao lado da sua linda filha Priscila.

" O que você faria no lugar de Fernanda? "


17 Comentários:

Às 4 de janeiro de 2014 03:15 , Blogger Cidália Ferreira disse...

Bom dia Dorli

Mas que brilhante conto... Adorei.
Serve também como exemplo! O que eu faria??
O que fez a Fernanda...Pois se existe Amor entre ambos, tentar perdoar o acontecido!
Amiga; Embora seja um conto, mas quantos e quantos não acontecem na realidade?? Oh quantos e coisas muito piores,como ""aparecerem filhos, extra casal""...falo do que sei....

Amei este conto! Quando existe Amor, tudo é superado..

(Mais uma nota!:- Ele se fosse ao contrário não iria saber lidar com a situação, de certeza.)

Tenha um bom fim de semana.
Beijinhos

Amanhã tenho novidades sobre a minha vida.

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

 
Às 4 de janeiro de 2014 04:33 , Blogger Cidália Ferreira disse...

Não Amiga, não fiquei nervosa nada, ehhehhe gostei do conto. Que no fundo bem sabemos que acontece na realidade... depois há os que conseguem superar ou que não...mas gostei muito..

beijinhos

 
Às 4 de janeiro de 2014 05:27 , Blogger Bia Hain disse...

Dorli, antes quero desejar feliz 2014!
Bom minhas ideias sobre traições foram mudando ao longo do tempo, por um motivo simples: penso que cada caso é um caso.
Ninguém gosta de ser traído e realmente acho que relacionamentos sólidos não são espaço para tal, mas há a fraqueza humana, há pessoas que trazem na índole a tendência à traição, e essas, penso eu, só causarão mágoas.
Por outro lado há o amor, capaz de perdoar... mas o perdão só é válido se ocorrer de verdade. Ficar com uma pessoa nessas circunstâncias e passar a vida jogando a traição na cara do outro não dá.
Um abraço!

 
Às 4 de janeiro de 2014 05:56 , Blogger Anete disse...

Conto bonito, Dorli... Certamente o perdão é necessário, mas é um processo que requer decisão firme...

Bom Sábado... ABRAÇOS

 
Às 4 de janeiro de 2014 06:43 , Blogger Pedro Luis López Pérez (PL.LP) disse...

Siempre es mejor pensar lo que se hace a Tiempo y con serenidad y no dejarse llevar por impulsos que nos pueden hacer una mala jugada.
Muy buena Historia.
¡¡¡Feliz Día de Reyes Magos, Dorli!!!
Abraços e Beijos.

 
Às 4 de janeiro de 2014 06:48 , Blogger Nádia Santos disse...

Quando existe amor, não tem porque não perdoar. Lindo amiga, amei. Bjus e lindo fim de semana.

 
Às 4 de janeiro de 2014 06:58 , Blogger Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Oi amiga Dorli,não sei se perdoaria como Fernanda,pois quando há um verdadeiro amor mutuo nada fará que haja uma traição;mesmo com a tentação de outra pessoa,seja homem ou mulher,por isso que existe a fidelidade.
Uma vez traído,sempre será traído!
bjs amiga e um ótimo final de semana.
Carmen Lúcia.

 
Às 4 de janeiro de 2014 07:01 , Blogger Ricardo- águialivre disse...

No lugar da Fernanda não sei o que faria. Mas sei o que faria no lugar dele...Cala-me bem caladinho e pronto, loool

Desejo um feliz Fim-de-semana
Deixo cumpriumentos

 
Às 4 de janeiro de 2014 07:47 , Blogger JP disse...

Uma história bem contada. Não sei que faria, porque cada um tem sensibilidade própria...um ponto a favor dele foi ter admitido e ter-se arrependido. Todos erramos...

Gostei de conhecer este cantinho e vou seguir, se me permitir.

Um excelente ano
Beijinho de um colega :))

 
Às 4 de janeiro de 2014 09:05 , Blogger Lu Nogfer disse...

Situação difícil não, Dorli!? Porque depois vem o depois...
Será que a pessoa traidora aguentaria a desconfiança que tende a vir com força total por parte da pessoa traida?
É um momento para o casal pensar de cabeça fria, porque certamente fará um rombo na relação...

Gosto do teu jeito de contar histórias com assuntos sempre tao pertinentes à vida!

Beijos!

 
Às 4 de janeiro de 2014 11:09 , Blogger Cris Henriques disse...

Olá Dorli!

Lindo conto. No lugar dela, talvez perdoasse. Mas ia precisar de um tempo para digerir o problema. Não é fácil perdoar uma traição, principalmente quando esta provém das pessoas que amamos. É falta de respeito e quebra a confiança... Porém, onde há amor, existe o perdão.

Beijos,

http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com/

 
Às 4 de janeiro de 2014 11:44 , Blogger Donetzka Cercck L. Alvarez disse...

Dorli,querida amiga.

Obrigada pela visita e um Novo Ano de alegrias para você!

Beijos e ótimo fim de de semana

Donetzka

Face Book:


https://www.facebook.com/donetzka.cercck




Blog Magia de Donetzka




 
Às 4 de janeiro de 2014 13:43 , Blogger ReltiH disse...

UN TEMA MUY DELICADO Y POLÉMICO.
UN ABRAZO

 
Às 5 de janeiro de 2014 02:25 , Blogger ✿ chica disse...

Lindo conto e não sei se o perdoaria!! beijos,chica

 
Às 5 de janeiro de 2014 11:10 , Blogger Daniel Andre disse...

Dorlizita,

O conto é bem interessante, mais nem todo Daniel é assim valeu ? ahuhuahuhauhuahuhauhuaa. Eu sou um anjinho. rs

Falando sério agora. Tentações como essas existem sim, e sempre irão existir. Se for para a pessoa perdoar uma traição, que perdoe e recomecem a vida, sem interferências do que aconteceu. É difícil, mais não impossível.

Beijão,
Salve Daniel, o anjo.

Daniel.

 
Às 6 de janeiro de 2014 03:51 , Blogger Vall Nunnes disse...

Pergunta difícil...somente vivendo uma situação assim( que Deus nos livre!) pra ter uma resposta segura.
Caso complicado e ao mesmo tempo muito comum quando se fala das armadilhas do desejo.

 
Às 6 de janeiro de 2014 06:12 , Blogger Beatriz Bragança disse...

Boa tarde,Dorli
Um conto lindo,triste e real!
a pergunta que coloca é de difícil resposta.Só quando passamos por certas situações é que sabemos exactamente(ou não!),como lidar com o acontecido.
Talvez Fernanda tenha tomado a resolução certa,tendo em conta o facto de ter uma filha...
Parabéns,Dorli
Sempre a surpreender-nos com cenas que poderiam ser do quotidiano!
Feliz Dia de Reis.
Beijinhos
Beatriz

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial